sábado, 3 de maio de 2014

Koi Kaze (anime)

Olá gente! Como vão vocês? Tudo na paz?
Hoje venho trazendo uma resenha de anime! E esse é dos mais polêmicos!



Título: Koi Kaze
Autor: Motoi Yoshida
Gênero: Drama, romance
N° de episódios: 13
Emissora de TV: Kids Station, TV Asahi
Direção: Takahiro Omori
Estúdio: A.C.G.T
Período de emissão: 1 de Abril de 2004 a 17 de junho de 2004



Na época em que assisti Koi Kaze, eu estava passando por uma “crise” onde eu não conseguia gostar de nenhum anime. Para mim, todo anime que eu começava a assistir era chato e sem graça. Fiquei meio desesperada com essa situação e por isso resolvi sair “catando” várias opções de animes pra assistir. Entrei no site Anbient.net e acabei selecionando alguns animes só pelo pôster. E foi nesse momento que eu me deparei com o pôster de Koi Kaze, achei muito bonitinho e resolvi assisti-lo.


Escolhi Koi Kaze apenas por que eu gostei desse pôster

Encontrar um anime tão bom dessa forma parece meio constrangedor. Teria sido muito mais legal se eu o tivesse encontrado “por acaso” ou por alguma recomendação, mas na verdade eu estava tão desesperada para assistir uma boa história, e depois de tanto procurar, finalmente achei uma obra que me chamou a atenção.

E porque Koi Kaze é tão bom? E por que é tão polêmico?



Bom... Quando eu comecei a assistir Koi Kaze (sem ler antes a sinopse) e vi o tema de abertura desse anime, fiquei um pouco confusa:



Não é que eu não goste dessa abertura, pelo contrário, é uma das minhas aberturas preferidas de anime, é muito fofa, suave, tem um frescor muito doce e eu adoro essa música! Mas na primeira vez que eu vi essa abertura eu pensei: Quem é esse cara? É o pai dela? Não pode ser isso, pois esse anime parece ser de romance... Mas um romance entre um homem tão velho e uma garotinha? Que absurdo!

Depois desse nó de preconceito na minha cabeça, resolvi pausar o anime e finalmente fui ler a sinopse:

Koshiro Saeki, um homem de 27 anos que trabalha em uma agência matrimonial, acaba de receber uma notícia que ninguém gostaria de ouvir: sua namorada lhe revela, sem meias palavras, que tem outro homem (Uau!). Mas, ao contrário do que seria esperado, Koshiro não explode de raiva nem parte para as ofensas verbais. Externamente ele aceita tudo numa boa, sem expressar nenhuma emoção, mas, no fundo, sua alma está em frangalhos. Isto parece ser algo normal na vida do fechado Koshiro, que tem uma tremenda dificuldade para externar seus sentimentos, ficando com estas sensações desagradáveis presas dentro de si. Enquanto curtia uma fossa brava, Koshiro se encontra com Nanoka Kohinata, uma bela garota de 15 anos, com personalidade expansiva e conversa franca. Ambos haviam se visto de relance no trem um pouco antes e, ao se cruzarem na estação (Koshiro fora devolver a identidade de Nanoka, que havia caído no chão), foram recebidos por um forte vento carregado de pétalas (seria o tal "Koi Kaze", o "Vento do Amor"?). O sorriso de Nanoka naquele momento, com os cabelos balançando ao vento, não saiu da cabeça de Koshiro. Neste segundo encontro fortuito, Koshiro cria coragem e convida Nanoka para tomar um sorvete no parque enquanto ela aguarda a chegada do pai. Conversa vai, conversa vem, Nanoka confessa a Koshiro que teve uma desilusão amorosa, e que seu sorriso na estação de trem fora o primeiro em muitos dias. Koshiro também conta a ela sua história e, surpreendentemente, consegue colocar a emoção para fora e chora copiosamente nos ombros de Nanoka. Se a possibilidade de um relacionamento entre um homem de 27 anos e uma garota de 15 já seria um baita de um tabu, imaginem quando esta mesma possibilidade diz respeito a dois irmãos? Pois é, Koshiro e Nanoka na verdade são irmãos, separados quando ela era ainda muito nova, à época do divórcio de seus pais. Nanoka viveu com a mãe em uma pequena cidade do interior, mas veio morar com o pai para continuar os estudos na cidade grande. Koshiro morava com a antiga namorada em um apartamento, mas, após a separação, volta temporariamente à casa do pai, para viver junto a ele e Nanoka... (sinopse retirada do anitube).

Depois de ler essa sinopse, a minha opinião sobre o anime só piorou: Um homem de 27 anos que se apaixona por uma menina de 15 anos e que ainda por cima é sua irmã biológica? WHAT???



Bom, apesar de não saber o que pensar sobre esse enredo absurdo, resolvi continuar a assistir o anime (afinal, polêmicas sempre nos atraem!). A curiosidade para saber como essa história iria se desenrolar foi maior do que qualquer outro julgamento preconceituoso.

Então, finalmente comecei a assistir esse anime pra valer (levando tudo a sério) e percebi que as coisas não eram como eu pensava. Na verdade, tudo acontecia de maneira tão doce e poética! 


Koshiro chora na frente de Nanoka, e ela, num gesto muito natural, o consola.
Sabe o que parece? Que eles se apaixonam a primeira vista.


É incomum e muitas vezes inaceitável ver um homem de 27 anos se interessar por uma garota de 15 anos e vice-versa. No entanto, em Koi Kaze, vemos que as coisas simplesmente acontecem dessa forma. Koshiro se apaixona pela personalidade doce e vibrante de Nanoka, e ela, por sua vez, se encanta com o jeito tímido, retraído e sensível de Koshiro.





Ambos se apaixonam. Simplesmente se apaixonam. E esse sentimento é retratado de uma maneira tão linda, tão doce e tão meiga... E mesmo que seja muito difícil de aceitar, é perfeitamente possível de acontecer, não é?

No entanto, as coisas ficam mil vezes mais complicadas quando eles descobrem que na verdade são irmãos e que terão de morar sob o mesmo teto.

Koishiro se sente completamente desconfortável com sua “irmãzinha” lhe seguindo por todos os lados. Ela é tão amorosa e atenciosa com ele que acaba despertando-lhe sensações que ele não deveria sentir. E a única maneira que ele encontra para lidar com esses sentimentos proibidos é se afastando dela e tratando-a com frieza. Porém, esse comportamento rude acaba sendo mal visto pelas outras pessoas e Koshiro se vê obrigado a aceitar uma boa relação com Nanoka, mesmo que ele a veja como uma mulher e não como sua irmã mais nova.


Koshiro não é um rapaz tão bonito, na verdade, ele é meio grandão e desajeitado rsrs

Nanoka tem uma aparência ainda muito infantil para sua idade. Ela é muito kawaii.

Nanoka, por sua vez, é uma garota de 15 anos, que está se descobrindo como mulher e, aos poucos, também vai percebendo que está apaixonada pelo seu irmão mais velho.


As amigas de Nanoka costumam dizer que ela tem Complexo de irmão.
Isso por que ela sempre está falando de seu irmão, ela se importa com ele
mais do que qualquer outra pessoa, ela conta tudo para ele e não o trata
como irmão, e sim como um companheiro. As vezes Nanoka parece uma jovem esposa.

A diferença de idade dos dois se torna bem mais evidente quando vemos o que se passa na mente de um “adulto apaixonado” e de uma “adolescente apaixonada”. Enquanto o amor de Nanoka por seu irmão é mais puro e juvenil, o amor de Koshiro é cheio de desejos (sexuais), ciúmes e sentimentos de culpa.


Situações constrangedoras: Koi Kaze é cheio delas!
Koshiro e suas crises de culpa por desejar a irmã.

O estágio mais difícil dessa história acontece depois que Nanoka finalmente confessa seus sentimentos para seu “onii-chan”. Koishiro busca forças dentro de si para não ceder à tentação, ele faz de tudo para se convencer que Nanoka é sua irmã, e que corresponder aos sentimentos dela não é algo que ele deva cogitar. No entanto, ela sempre está perto dele, dizendo o quanto o ama, e o olhar apaixonado dela faz com que a situação entre os dois fique insustentável, afinal, se Koishiro fizer alguma besteira, toda a responsabilidade cairá sobre os seus ombros, já que ele é o adulto nessa história.





Nanoka e seu rostinho apaixonado *-*

A única saída que o rapaz enxerga no meio dessa essa confusão é de se mudar da casa do pai e se afastar de Nanoka para sempre, antes que algo mais "grave" aconteça entre os dois. Porém, como vocês já devem saber, fugir nunca é a solução. E esse afastamento dos dois só faz o sentimento deles aumentar mais e mais.

Um dos episódios mais tensos do anime é o episodio 11, onde a colega de trabalho de Koishiro descobre que o rapaz saiu da casa do pai por que estava prestes a cometer uma loucura com a irmã. Ao saber disso, ela fica completamente transtornada e xinga Koshiro de pervertido, doente, nojento...


A amiga de Koshiro fica transtornada, e ele se sente ainda mais miserável e culpado.

É possível para nós, espectadores, nos colocarmos no lugar de ambos os personagens. Assim como a colega de trabalho de Koshiro, nós também sabemos que ele e sua irmã mais nova não podem viver juntos como um casal, que isso vai contra as regras da sociedade, mas ao mesmo tempo, nós também sabemos do sofrimento de Koshiro, de sua luta contra os próprios sentimentos e do grande amor que Nanoka sente por ele. Então... O que pensar de tudo isso?

Um dos pontos mais fortes de Koi Kaze é certamente a maneira como todo esse conflito é apresentado aos espectadores. Os personagens principais nos envolvem em seus próprios sentimentos de tal modo que, em certo momentos, nós nos pegamos torcendo para que eles fiquem juntos e sejam felizes, mesmo sabendo que eles são irmãos. 

O enquadramento das cenas, as pausas dramáticas, a trilha sonora suave, a atmosfera doce e ao mesmo tempo um pouco tensa... A produção desse anime realmente soube como abordar esse assunto tão “pesado” de uma maneira mais poética, delicada e ao mesmo tempo realista.  Porém, o “choque” é inevitável, mas só depende de cada um compreender, aceitar ou repudiar tais situações.

Koshiro poderia ter sido mais forte, poderia ter vencido os seus próprios sentimentos, rejeitado Nanoka e dado um fim nesse romance tempestuoso, mas em vez disso, ele foi fraco, amou demais, sofreu, chorou, ficou deprimido e quando Nanoka apareceu na frente de sua porta, insistindo nesse amor proibido, ele a deixou entrar. Depois de declararem seu amor um pelo outro, eles resolvem esquecer a relação sanguínea e levar a relação adiante.






Frase mais marcante do anime (dita por Koshiro à sua colega de trabalho): 
"Não julgue quem é miserável e quem não é."

Muitos comentários por aí dizem que as atitudes de Koshiro foram irresponsáveis, doentias e que ele não deveria ter “corrompido” sua irmã. Eu, particularmente, acho que o único erro de Koshiro foi se apaixonar pela pessoa “errada”. Porém, no fim das contas, ninguém escolhe por quem deve se apaixonar, essas coisas simplesmente acontecem. Vale ressaltar que Koshiro não era o único que estava confuso e apaixonado, Nanoka também partilhava dos mesmos sentimentos e conflitos internos, e ela não estava disposta a desistir de seu amor tão facilmente, pelo contrário, ela queria lutar até o fim. No entanto, sendo ela ainda muito jovem, as responsabilidades de suas escolhas são repassadas à Koshiro.



Bom... Koi Kaze pode até ser um anime polêmico, porém, ele nos mostra que o amor verdadeiro é capaz de superar qualquer coisa, e acho, em minha humilde opinião, que essa é a verdadeira essência do anime.

Confesso a vocês que se eu não fosse tão conservadora, Koi Kaze estaria na minha lista TOP 10 de melhores animes, pois ele é, definitivamente, uma obra única.

Koi Kaze possui uma beleza e doçura singular, e por ser um anime seinen (voltado para um público mais maduro), ele aborda seu tema de uma maneira bem mais consciente.

Se eu tivesse de fazer uma comparação entre Koi Kaze e outro anime, esse anime seria Victorian RomanceEmma. Sei que essas duas obras não possuem nenhuma similaridade de enredo, mas a maneira como a história de ambos é desenvolvida, de um jeito mais maduro e suave, faz com que eles sejam muito parecidos em termos de composição e desenvolvimento (apesar de que entre os dois animes, eu ainda gosto mais de Koi Kaze). Ambas são obras que eu faço questão de recomendar, e que sempre estarão guardadas na minha memória.

Antes de me despedir, confiram novamente a opening e a ending do anime:




Bom, pessoal, hoje vou ficando por aqui. Espero que tenham gostado dessa resenha e aguardem novas postagens!

Até mais!

Não existe barreiras para o Amor...


7 comentários:

  1. Vc disse tudo sobre esse anime único que adoro

    ResponderExcluir
  2. Meu anime preferido!! <3 Depois do meu primeiro, Itazura na Kiss hehe. Eu sempre quis mais uma 2° temporada que mostrasse como eles viviam e tal. AMO DE PAIXÃO!

    ResponderExcluir
  3. falando serio eu nao tinha entendido muito bem o enredo desse anime ate ter lido esta otima resenha acho que é porque nao entendo bem do assunto tratado no anime mas so digo que foram as horas mas bem gastas para mim boa experiencia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz por ter ajudado na compreensão do anime! Koi Kaze é uma obra muito cativante!

      Excluir
  4. Mdsssss mano do céu

    ResponderExcluir
  5. Tive que assisti tudo de uma vez , muito bom mesmo.

    ResponderExcluir